Claro que foi amor

INÍCIO

Parece que com o olhar
Te fiz tropeçar
E cair no meu coração.

Ah, se ela fosse
minha, só minha
eu seria dela, sou dela.

Sua aerodinâmica
faz minha imaginação
v o a r.

Queria te devorar
de garfo, faca,
prato, sousplat.

Tenho a impressão
De que o paraíso
Se parece com seus olhos.

Pega essa tua língua
e preenche esse vazio
entre minhas pernas.

Seu olhar
É o melhor sofá
Em que minha alma já repousou.

Aquela música tocava
Enquanto eu te tocava o corpo
Enquanto você me tocava a alma.

Começo de namoro
esse cheirinho de pra sempre
que impregna o quarto todo.

MEIO

De vez em quando a gente cansa de ser quem passa
e aí, pra variar um pouco
a gente fica.

E cada sorriso
que eu der
metade será seu.

Amor é tinta fresca
não põe o dedo
que gruda.

O amor era,
enfim,
sem fim.

Quero um banho entre um amor e outro
quero ser seu deslizar suave
de sabão no corpo.

O desenho da sua boca
os ruídos de uma só palavra sua
E pronto, te imagino – e te quero – nua.

Entre nós duas
nada mais
certo que o amor.

Dormir e acordar
com você
ter algo pra ler.

Amanhã sou eu quem limpo a casa
depois é você de novo.
O vidro da mesa da sala reflete límpido nossa felicidade.

Vejo seu corpo
Pelas luzes que fogem
da cortina mal fechada.

Você é meu sábado
Sol azul, brisa fresca
Água de coco e amor.

O cê
+ alma
= calma.

De repente
Me bateu
Um domingo.

FIM

Será que você vai notar que mudei a planta de lugar
Será que você vai reparar que recebi outra
No seu lugar, no sofá?

O tédio faz as pessoas ocuparem as mãos com cada coisa
Cigarro, bebida
Corações.

Que dó, faz um sol lá fora
Mas preciso de um tempo
E um contratempo de você.

As horas da madruga passam
lentamente
sem o batuque do seu coração ao meu lado.

Jurei que não iria chorar
se te visse partir de mim
menti.

Foi sem querer
Eu nunca quis
Te perder.

Não vá,
segurei sua mão
não me deixe ir.

Fica
Eu não sei me despedir
Eu não sei me partir.

Nunca
Nenhuma partida me partiu tanto
O coração.

Ninguém reparou que não te amo mais
Você não está aqui pra saber
Mas eu sei.

Erika Araújo tem 32 anos, nascida e criada em BH, é mãe de pet, trabalha com marketing e escreve sobre a vida, o amor e tudo mais nas horas vagas.

Foto: Mayara Laila